Motos

Motos

Saiba como trocar o óleo da moto

Marcelo Ricardo Rocha
Engenheiro Técnico

Como já falamos aqui em conteúdos anteriores, o intervalo de troca de óleo é definido pelo fabricante da motocicleta durante o desenvolvimento do projeto do motor. A montadora leva em consideração a qualidade do combustível, acabamento superficial do motor, a qualidade do filtro de óleo e outros aspectos. Mas, dependendo das condições de uso, será necessário antecipar a troca. Então, a seguir, mostraremos como identificar as condições de uso, quais fatores levam a redução do intervalo e como trocar o óleo da moto.

Mas, de mostrar como trocar o óleo da moto, você precisa saber que, em todo o manual do proprietário, tem informações sobre a tabela com o intervalo das manutenções. Os períodos são estabelecidos para uma condição ideal de operação (baixa carga, velocidade constante, boa refrigeração proveniente do fluxo de ar). Este cenário é encontrado em rodovias, porém, a realidade da maioria dos motociclistas é diferente: trânsito urbano, alta carga e baixa refrigeração pelo ar.

Conhecendo os regimes severos de uso

Congestionamento

Sabemos que, em engarrafamentos, os veículos ficam parados no trânsito com os motores ligados. Isso faz com que o motor continue a produzir energia e que não haja uma grande quantidade de troca de calor com o ar por convecção natural e é necessário introduzir uma ventoinha para que haja uma convecção forcada. Assim, o fluído de arrefecimento trocará uma maior quantidade de calor com o meio aumentando a troca de calor com as peças metálicas do motor. Consequentemente, a temperatura de trabalho abaixará e a vida útil do sistema aumentará. Quanto maior a temperatura do motor, maior a do óleo também. Esta elevação da temperatura acelera o processo de formação de borra e verniz, dificultando a circulação de óleo por meio dos dutos e canaletas.

“Anda, para”

No trânsito urbano, além dos congestionamentos, temos uma grande quantidade de semáforos e cruzamentos. Toda vez que a motocicleta para e volta a acelerar, o motor sofre um uso com cargas médias e elevadas. Este esforço mecânico reflete em maior cisalhamento das moléculas que compõem o lubrificante. Isso acontece em todas as regiões do motor, como na lubrificação dos cames do comando de válvula, passando pelos anéis, pistões, camisas, virabrequim, até as engrenagens do câmbio. Então, uma vez cisalhada, a molécula não retoma a sua formulação original, deixando de exercer a sua função.

Trajetos curtos com baixa temperatura

Em todos os motores, a temperatura ideal de trabalho é em torno de 90 °C. Ao utilizar o veículo em trajetos curtos (menos de 5 km), o lubrificante circula dentro do motor com uma viscosidade maior que a de trabalho. Neste texto explicamos como a viscosidade se altera em função da temperatura. Isto, no longo prazo, gerará um desgaste maior quando comparado ao mesmo número de horas de trabalho com o motor na temperatura ideal.

Além dos regimes severos de uso, outro fator que degrada a vida útil do lubrificante são as contaminações. Um filtro de ar danificado, entupido ou mal instalado pode não desempenhar a sua função de reter partículas existem no ar, como a poeira, por exemplo, tornando-se abrasivos dentro do motor e acelerando o desgaste dos componentes internos. Ao utilizar um combustível de má qualidade, a combustão não ocorre de maneira completa, deixando resíduos na câmara de combustão que escorrem para o cárter. Os combustíveis são solventes de lubrificantes e, quando misturados na porção inferior do motor, resultam em um óleo com menor viscosidade que faz com que o filme de óleo seja de menor espessura, deixando as peças do motor desprotegidas contra eventuais contatos.

Reduzindo o intervalo de troca de óleo

Se o seu veículo se encaixa em alguma das situações acima descritas, é aconselhável reduzir o intervalo recomendado pela montadora pela metade. Lembre que o intervalo pode ser por quilômetro rodado ou por tempo de uso e deve ser respeitado o limite do que acontecer primeiro.

É possível identificar quando o óleo possui uma diluição por combustível. Por meio das checagens periódicas do nível de óleo, é possível observar o aumento do consumo de óleo em função da maior quilometragem, que é um indicativo da menor viscosidade quando comparada ao produto original. Nessa situação, pode-se completar o nível ou realizar a troca antecipada.

Os nossos lubrificantes recomendados estão aptos a cumprir o intervalo definido pelo fabricante. É importante destacar que a referência numérica da nossa linha de produtos (3000, 5000, 5100 e 7100) não diz respeito a quilometragem indicada para troca.

Veja como trocar o óleo da moto

Uma vez identificado o momento da troca de óleo, siga a recomendação no manual do proprietário sobre a especificação do lubrificante (viscosidade, norma API e JASO) ou acesse o nosso guia de aplicação para saber qual o produto ideal para a sua motocicleta. Você pode levar a moto até uma oficina especializada ou realizar a troca em sua própria casa, lembrando que é importante separar o óleo usado e levá-lo até uma oficina para que seja feito o descarte correto.

Para melhorar a qualidade da troca do óleo, recomendamos aquecer a motocicleta por 2 minutos. Isto fará com que o lubrificante se aqueça, diminuindo a sua viscosidade, o que garantirá a extração de uma maior quantidade de óleo usado para o intervalo de tempo em que você deixar o bujão aberto. Outro ponto positivo de circular o óleo antes da troca, é a garantia que de que, caso haja depósitos de partículas no motor, estes se encontrarão em suspensão no lubrificante, garantindo assim a sua remoção. Sempre troque o filtro de óleo ao trocar o óleo do motor.

Para adicionar o novo óleo, utilize um funil limpo ou aproveite oo bico extensor de nossa embalagem para inserir o lubrificante diretamente no bloco do motor. Caso opte por colocar o produto diretamente, certifique-se que não há sujeira ou areia na região próxima a entrada do óleo, pois estas partículas podem gerar contaminação. A limpeza da região pode ser feita com o E1 – Wash & Wax ou com o Parts Clean.

Visor do nível de óleo na lateral do bloco do motor

Após inserir o volume recomendado no manual do proprietário ou no nosso guia de aplicação, deixe a moto na posição vertical e confira se o nível de óleo se encontra entre o máximo e mínimo do visor ou da vareta.

Tampa com vareta medidora do nível de óleo

Um motor com produtos Motul seguindo as especificações do fabricante é sinônimo de longevidade para a sua moto. Gostou dessas dicas? Compartilhe para que mais pessoas saibam como trocar o óleo da moto.

  • COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO