Motos

Cuidado com sua moto na quarentena

Vitor Reis
Engenheiro Técnico | Publicado em: 06/05/2020

O coronavírus faz com que a maioria das pessoas permaneça em casa, inclusive os apaixonados por aventura que conduzem veículos de duas rodas, tanto para se divertir, quanto para se locomover ou trabalhar.

Pensando nisso, a Motul elaborou um guia de manutenção para a motocicleta durante esse período. Portanto, aproveite esse tempo em casa para deixar a sua motocicleta em perfeitas condições de uso!
Saiba como cuidar da sua moto na quarentena.

A lavagem da motocicleta é essencial para que a verificação e manutenção sejam realizadas com sucesso. Então o primeiro passo é deixar a moto brilhando.

A Motul desenvolveu o E2 Moto Wash, pensando em facilitar a lavagem. O produto tem o poder de dissolver terra, graxa, entre outros resíduos, facilitando a lavagem e evitando que um jato de água forte e localizado seja aplicado na moto, o que pode prejudicar a parte elétrica.

É importante que não seja aplicado com a motocicleta ainda quente ou de baixo de incidência solar. Além disso, todo o produto deve ser retirado com água limpa. Caso não tenha espaço ou acesso à uma fonte de água, a Motul desenvolveu o E1 Wash & Wax, produto para limpeza a seco da motocicleta. O importante é que a motocicleta esteja limpa para que possa rodar com tranquilidade.

É importante retirar totalmente o Motul E2 Moto Wash com água limpa.

A lavagem é importante, mesmo no período de quarentena.

O Motul E1 Wash & Wax é ótimo para limpeza a seco.

Para o acabamento final, o Motul E5 Shine & Go garante o brilho e o perfume, principalmente nas partes plásticas. É preciso utilizar um pano de microfibra para espalhar e retirar o excesso de todos os produtos que são aplicados diretamente na superfície da motocicleta.

Verifique o fluido de freio

O primeiro sistema a ser verificado é o freio, afinal, do que adianta a motocicleta acelerar se ela não está apta para realizar frenagens?

A quantidade de material aderente na pastilha pode ser verificada pela inspeção visual. Se restar menos de um terço, já está na hora de trocar, caso contrário a pastilha pode acabar durante a condução e gerar dano ao disco e até um acidente.

O fluido de freio também deve ser verificado, pois a concentração de água diminui o seu ponto de ebulição. Caso atinja patamares elevados, pode gerar uma falha no momento da frenagem (freio borrachudo ao ponto de o manete encostar na manopla e a moto ficar sem freio)

Vazamentos também podem estar presentes no sistema, o que prejudica a pressão e o poder de frenagem, então é necessário verificar, principalmente na área do reservatório de freio próximo ao manete, se não há vazamentos e, se houver, trocar os retentores o mais rápido possível.

Ele possui um prazo de validade de no máximo dois anos, segundo fabricantes como a Honda, Yamaha, BMW e Kawasaki. Porém, se o sistema aquece com frequência e o fluido absorveu muita água, provavelmente terá que ser trocado antes desse prazo. Se a troca do fluido for necessária, é recomendado que a moto seja direcionada a uma oficina especializada, principalmente se tratando de um freio ABS, o qual apresenta uma complexidade maior e a necessidade de ferramental específico para a sangria correta.

A sangria do freio é um procedimento para retirar todo o ar do sistema, uma vez que ele é compressível e prejudica a capacidade de frenagem. Os fluidos de freio da Motul são 100% sintéticos, desenvolvidos para suportar altas temperaturas.

O Motul DOT 5.1 Brake Fluid foi desenvolvido especialmente pensado nos sistemas de freio de motos mais modernos, equipados com ABS, EBD, etc. Já o Motul DOT 3&4 Brake Fluid para freios convencionais e, por fim, o Motul RBF 660 Factory Line foi desenvolvido para suportar temperaturas elevadas e condições de frenagens constantes devido ao seu alto ponto de ebulição. Portanto, é o mais indicado para alta performance e uso em pista de corrida.

Muito cuidado com o fluido do freio da sua moto na quarentena.

A importância do óleo de motor

O óleo do motor precisa ser trocado após um intervalo de tempo ou quilometragem, o que vier primeiro. Já que as motocicletas estão paradas, é importante atenção com o tempo, a troca deve ser realizada após seis meses, segundo a Honda, para motos de baixa cilindrada ou um ano, segundo a BMW, independente da moto ter sido usado ou não. Porque, o ar atmosférico possui oxigênio, que faz com que o óleo oxide e perca as suas funções com o tempo. Mesmo se o intervalo de troca ainda não foi atingido, é importante verificar o nível a cada 1000 quilômetros, atentando-se às recomendações do manual do manual da sua motocicleta.

Na maioria dos casos, a medição deve ser realizada com o óleo quente e a moto na posição vertical, apoiado no cavalete central de preferência, caso não tenha, um cavalete de balança ou o auxílio de uma segunda pessoa pode ser suficiente. O óleo precisa estar entre o mínimo e o máximo na escala da vareta ou no vidro na parte inferior do cárter.

Portanto, a Motul recomenda que seja colocado um filtro de óleo novo, de preferência original, em todas as trocas de óleo.

A Motul é especialista e possui uma linha completa de óleo de motor, com um produto específico para cada aplicação, independente do modelo da sua máquina.

Entre no Motul Expert e descubra qual é o óleo ideal para o motor da sua motocicleta. Lembrando também que é recomendado colocar um óleo de qualidade maior ou igual a solicitada em manual e o intervalo de viscosidade seja sempre seguido.

Por exemplo: se o manual solicita um óleo 10W-40 Semissintético, você pode colocar um óleo 10W-40 100% Sintético e se beneficiar da qualidade elevada de sua base. O que ajuda a atender os intervalos de troca estipulados pelos fabricantes das motocicletas, que chegam a 12000 quilômetros e, por conta da qualidade de alguns tipos de combustível não ser tão alta, esses intervalos só podem ser atendidos com lubrificantes de alta qualidade.

Não esqueça de trocar o óleo da sua moto na quarentena.

Troca do óleo com Motul 5100 4T 15W-50.

Examine a bateria da motocicleta

A bateria da motocicleta costuma perder carga rapidamente caso não seja nova, então entre outros motivos, deixe a motocicleta ligada por alguns minutos sempre que possível, caso você não possua um carregador externo para a bateria.

Ela pode ser descarregada por dois motivos: o primeiro deles é por envelhecimento, então perde a sua capacidade de reter carga e o segundo, por falta de alimentação, no caso de o retificador da motocicleta apresentar problema.

Portanto, com um multímetro é possível verificar se a bateria possui carga e se está sendo carregada com perfeição. Geralmente, a carga da bateria fica em torno de 12 Volts, subindo para 14 Voltas com a moto ligada, o que significa que ela está recebendo carga. Caso a bateria esteja perdendo carga rapidamente (semanalmente), é indicado realizar a sua troca. Desta forma, a motocicleta estará perfeita para voltar às ruas, assim que esse confinamento acabar.

Moto desligada, bateria carregada. Lembrando que o fio preto fica no polo negativo e o vermelho no polo positivo.
Verifique a bateria da sua moto na quarentena.

Moto ligada, bateria está sendo carregada, o que indica o bom funcionamento do retificador.

Examine a suspensão da motocicleta

A suspensão da motocicleta também é considerada um item de segurança, uma vez que ela atua para manter os pneus em contato com o solo, gerando aderência, controle, estabilidade e conforto.

Então, assim como o óleo de motor, o fluido da suspensão deve ser substituído, após 30000 quilômetros segundo a BMW, ou anualmente prezando pela manutenção preventiva, a não ser que haja um vazamento no retentor da bengala ou do amortecedor traseiro. Nesse caso, a substituição do retentor e do fluido deve ser imediata, pois o fluido pode entrar em contato com o freio, prejudicando a sua atuação.

A escolha do fluido de suspensão é essencial para o bom funcionamento do sistema, no que diz respeito a qualidade da base e sua viscosidade. Pensando nisso, a Motul deixa a recomendação ideal disponível no aplicativo Motul Expert.

A desmontagem da suspensão e substituição do seu fluido é complexa e exige o uso de ferramentas especiais, então é indicado que a moto seja levada em um mecânico de confiança.

Tome cuidado com a suspensão da sua moto na quarentena.

A importância do fluido de arrefecimento

O fluido de arrefecimento deve ser substituído após dois ou três anos de uso. O tempo varia de acordo com o fabricante da motocicleta. Já que a água não tem o poder de lubrificar a bomba d’água e de anticorrosivo. Portanto, só um fluido de qualidade vai desempenhar esses papeis, além da troca de calor.

A quarentena é um bom momento para verificar a condição e o nível desse fluido. A Motul recomenda que se for necessário completar o nível, que seja abastecido com um fluido contendo a mesma tecnologia, pois existem dois tipos: os fluidos orgânicos e os híbridos, que são selecionados de acordo com as recomendações do fabricante da motocicleta.

Geralmente, os fabricantes que indicam intervalos mais extensos e recomendam o uso de um fluido de arrefecimento contendo tecnologia orgânica. Além do Motocool Expert (híbrido), Motocool Factory Line (orgânico), existe também o Mocool, produto para melhorar, exclusivamente, a troca térmica. Dessa forma, a segurança e o bom funcionamento do motor são garantidos.

O fluido de arrefecimento também deve ser verificado.

O fluido de arrefecimento deve estar entre o limite mínimo e máximo do reservatório.

Fique atento à corrente da motocicleta

A corrente da motocicleta é o componente que transfere o torque e potência do motor para as rodas e pode ser construída com retentores, que impedem a saída da graxa, a qual efetua uma lubrificação interna do componente, aumentando a sua vida útil.

Esse tipo de corrente é muito utilizado em motos de alta cilindrada. A corrente deve estar sempre lubrificada e esticada para que a transmissão seja perfeita. Portanto, a Motul recomenda que a cada 500 quilômetros seja realizada a limpeza da corrente com um produto específico, como o Motul C1 Chain Clean, o qual vai retirar todo o resíduo, tanto da sujeira, quanto do lubrificante e manter os retentores da corrente intactos. O uso de uma escova é indicado para auxiliar no processo de limpeza.

Em seguida, esticar a corrente de acordo com a recomendação do manual (as ferramentas necessárias, geralmente, se encontram no kit em baixo do assento da motocicleta).

Por último, lubrificar com o produto específico e aguardar 15 minutos para permitir a fixação total do produto. É muito importante aplicar o produto correto de acordo com o uso da motocicleta.

O Motul C2 Chain Lube Road é indicado para motocicletas de uso cotidiano, de baixa ou média cilindrada. O Motul C3 Chain Lube Off-road é indicado para uso fora de estrada. Enquanto o Motul C4 Chain Lube Factory Line é indicado para motocicletas de média ou alta cilindrada com uso exclusivo em asfalto. Esse produto também é indicado para condições extremas de alta performance no asfalto, como em autódromos, kartódromos, pois a sua fórmula foi desenvolvida para que permaneça na corrente independente da alta temperatura e rotação elevada.

Aplique o lubrificante de corrente direcionando o jato para meio dos elos.  É importante que ele não respingue no disco de freio. Se a condução da motocicleta for na chuva, recomenda-se a lubrificação da corrente logo em seguida.

Cuidado também com a corrente da sua moto na quarentena.

Limpeza da corrente com o C1 Chain Clean. O uso de uma escova para auxiliar na limpeza é recomendado (não utilizar escova de aço ou material similar).

Lubrificação da corrente com C4 Chain Lube Factory Line, pois o uso será exclusivo em ambiente de estrada com uma moto de alto torque e cilindrada.

Corrente esticada de acordo com as recomendações do manual. A moto não possui cavalete central, então foi utilizado um cavalete de balança.

Faça um Checklist!

A quarentena é um ótimo momento para realizar checklist final em sua motocicleta. Portanto, aproveite e verifique:

  1. O aperto de todos os parafusos da motocicleta. O mais indicado é que seja utilizado um torquímetro e cada parafuso apertado de acordo com o manual da motocicleta.
  2. Na existência de algum vazamento, retentores podem ressecar ou envelhecer a ponto de permitir a passagem de fluidos. Os parafusos, como o de drenagem do óleo de motor pode estar mal apertado ou com a arruela danificada. As tampas do reservatório de fluido de arrefecimento ou do compartimento de óleo do motor podem estar soltas.
  3. O funcionamento de todas as lâmpadas e parte elétrica: farol, seta, lanterna, buzina e pisca alerta.
  4. Para a condição do filtro de ar, é recomendada a troca do filtro de ar de papel de acordo com o manual, podendo ter um intervalo reduzido caso a moto seja utilizada em ambiente fora de estrada.
  5. A manopla deve estar estática no guidão, caso não esteja, passar um pouco de álcool entre ela e o guidão pode resolver facilmente. Uma segunda opção é prender a manopla com arame, técnica muito utilizada em motos de motocross. A manopla solta pode gerar uma deficiência na aceleração da moto e até um acidente.
  6. Atente-se a regulagem do manete de embreagem, pois, caso ele esteja muito alto, a embreagem pode ser levemente acionada o tempo todo. O que diminui a vida útil de seus discos. Portanto, deixe a regulagem em posição intermediária para garantir o bom funcionamento desse sistema.
  7. Por último, mas não menos importante, confira a calibragem dos pneus. Uma vez que são eles que garantem a aderência e caso essa calibragem esteja errada, pode haver um risco de queda. Além disso, o desgaste dos pneus é acelerado por conta da calibragem errada.

Lembrando que uma calibragem maior que a indicada pelo fabricante faz com que o pneu se desgaste mais no centro. Em contrapartida, uma calibragem mais baixa faz com que o pneu se desgaste mais nas bordas. Os pneus possuem marcações de desgaste (TWI), vale ressaltar que se os sulcos do pneu já estiverem muito baixos (valor mínimo 1,6 milímetros), o pneu precisa ser trocado imediatamente, pois são eles que garantem a aderência em piso molhado.Faça um checklist e veja se está tudo certo com a sua moto na quarentena.

  • COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO